Biologia e Geologia na Escola

Blog de apoio e complemento às aulas de Ciências Naturais – Biologia e Geologia

Chernobyl: Estudo analisa como as plantas que recolonizaram a área lidam com o excesso de radiação

Posted by BG em 22/09/2010

Cientistas eslovacos comparam as proteínas das sementes de soja e linho produzidas por plantas em terrenos contaminados com outras cultivadas em terrenos isentos de radiação e os resultados revelam que são muito semelhantes sugerindo que as plantas se adaptaram.

Recentemente foi publicado um estudo sobre o impacto da radiação na fauna na área de Chernobyl. Agora surge um trabalho de investigação sobre a adaptação das plantas que recolonizaram a área.

Cientistas da Academia Eslovaca de Ciências publicaram recentemente na revista Environmental Science and Technology Journal um estudo sobre a forma como as plantas que cresceram depois da explosão do reactor nuclear em 1986 na área que foi evacuada lidam com a contaminação.

Os investigadores semearam na cidade de Pripyat, actualmente uma “cidade-fantasma”, sementes de soja e linho, tal como fizeram em terrenos próximos não contaminados, tendo depois comparado os conjuntos de proteínas nas sementes produzidas pelas plantas que cresceram em ambas as condições.

Os resultados são muito semelhantes, sugerindo que a soja e o linho da zona contaminada se adaptaram ao excesso de radiação. No entanto fizeram-no através de mecanismos distintos, segundo informa Martin Hajduch, que participou no estudo:  “Na soja detectámos uma mobilização das proteínas relacionadas com o armazenamento nas sementes e processos semelhantes aos observados quando as plantas se adaptam a [elevados níveis de ] metais pesados.” Por outro lado, no linho “observámos mais proteínas envolvidas na comunicação entre células”.

Os cientistas sugerem que esta capacidade de recuperação da flora em terrenos contaminados está relacionada com a sua história evolutiva. Como explica o Dr Hajduch “[Deve existir] algum tipo de mecanismo que as plantas já possuam. A radioactividade sempre esteve presente na Terra, desde as primeiras fases da formação do planeta. “

E o cientista conclui “Existia muito mais radiação à superfície [da Terra] no passado do que existe agora, por isso provavelmente ao longo da sua evolução as plantas depararam-se com radioactividade e terão provavelmente desenvolvido algum mecanismo que agora possuem”.

Fonte: www.bbc.co.uk/news e http://naturlink.sapo.pt/homepage.aspx

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: